Técnicas de inspeção ainda usadas atualmente

Técnica 1 Técnica 2

O que buscar ?

  • Arames rompidos:Ocorre por abrasão ou fadiga de flexão. Deve-se anotar o nº da arames rompidos e a localização da ruptura em um passo ou em um comprimento equivalente a seis vezes o diâmetro do cabo.Observar se as rupturas estão distribuídas uniformemente ou se estão concentradas em uma ou duas pernas apenas.
  • Arames gastos por abrasão:Mesmo que os arames não cheguem a se romper, o seu desgaste reduz a resistência, tornando seu uso muito perigoso.
  • Deformações: mau uso
    Ondulação – ocorre quando o eixo de um cabo assume a forma de uma hélice determina desgaste prematuro e arames partidos.
  • Amassamentos: ocasionado pelo enrolamento desordenado no tambor.Nas situações em que o enrolamento desordenado não pode ser evitado, deve-se optar pelo uso de cabos com alma de aço.
  • Gaiola de passarinho.
    Quando o cabo é submetido a alívio de tensões repentinamente.
  • Alma saltada:
    Também causada pelo alívio repentino de tensão no cabo e provoca um desequilíbrio de tensão entre as pernas do cabo.
  • Dobra ou nó:
    É caracterizada por uma descontinuidade no sentido longitudinal do cabo que em casos extremos diminui a resistência à tração do cabo.

Detecção de Defeitos

Tipo de Defeito Detectável com
as técnicas atuais
Arame saltado Sim
Alma saltada — cabo de uma camada Sim
Redução local do diâmetro
do cabo (perna afundada)
Não
Perna saltada / destorcida Sim
Nó (positivo) Sim
Nó (negativo) Sim
Ondulação Sim
Deformação tipo “Gaiola de passarinho’ Sim
Desgaste externo e interno Não
Corrosão externa e interna Não
Ruptura de arames no topo Não
Rupturas de arames no vale Não
Parte interna saltada de um cabo
resistente à rotação
Não
Aumento local do diâmetro do cabo
devido à distorção da alma
Não
Sim
Achatamento Sim
Corrosão interna Não
Ruptura de arame na alma Não

Como funciona a Inspeção Eletromagnética em Cabos de Aço

A inspeção eletromagnética em cabos de aço consiste na passagem do cabo através do aparelho com imãs permanentes capaz de magnetizá-lo com um campo forte o suficiente para a saturação do cabo. As descontinuidades no cabo são percebidas pelos sensores hall através das distorções nas linhas do fluxo magnético. Essas variações nas linhas do fluxo magnético determinam os defeitos localizados, (LF- Localized fault) que são fios rompidos e etc..

A detecção da perda de seção metálica (LMA – Loss of metallic cross sectional area) se dá pela indução de um fluxo magnético longitudinal a uma seção do cabo. Os sensores “Hall” captam e armazenam as variações de sinal digitalmente que são descarregados em processadores de dados e traduzidos na forma de gráficos.
(US Pat. 6,492,808)

O ensaio de Inspeção Eletromagnética em Cabo de aço ferromagnético é padronizado pela ASTM E1571 – Standard Practice for Eletromagnetic Examination of Ferromagnetic Steel Wire Rope. Utiliza o efeito Hall para detecção de fluxos magnéticos ocasionados pela ruptura do fio (LF) tanto na capa externa ou interior do cabo e em razão da intensidade do fluxo permite medir quantitativamente a perda de seção ao longo do cabo (LMA).

Os sinais detectados pelos sensores (canais) são convertido em forma gráfica pelo ,com isto, é possível avaliar:
Porcentagem de Perda de Área na Seção Reta Metálica (LMA – “Loss of Metallic Cross-Sectional Area”).
Quantidade de material (massa) perdida na seção reta do cabo de aço, devido à corrosão/abrasão, interna ou externa, ou ausência de arame ao longo de um segmento do cabo de aço.

Defeito Localizado (LF – Local Flaw)
Descontinuidades no cabo de aço, tais como arame rompido ou danificado, pite de corrosão e entalhe.

É possível a identificação da presença de defeitos (LMA% / LF) perto dos soquetes.

Podem ser inspecionados cabos com capa de PVC e alma orgânica ou sintética. Atende a todos as categorias de cabo existentes no mercado (ABNT NBR ISO 4309)

Defeitos Inspecionados pela Técnica Eletromagnética

  • Redução local do diâmetro do cabo (perna afundada)
  • Achatamento
  • Desgaste externo e interno
  • Corrosão externa e interna
  • Ruptura de arames no topo
  • Rupturas de arames no vale
  • Parte interna saltada de um cabo resistente à rotação
  • Aumento local do diâmetro do cabo devido à distorção da alma
  • Ruptura de arame na alma

O ensaio é realizado conforme ASTM E 1571 – Standard Practice for Eletromagnetic Examination of Ferromagnetic Steel Wire Rope

Identificação da hora da troca

  • Se os arames rompidos visíveis atingirem 6 fios em um passo ou 3 fios em uma perna;
  • Se aparecer corrosão acentuada no cabo;
  • Se os arames externos se desgastarem mais do que 1/3 de seu diâmetro original;
  • Se o diâmetro do cabo diminuir mais do que 5% em relação ao seu diâmetro nominal;
  • Se houver danos por alta temperatura ou qualquer outra distorção no cabo (como dobra, amassamento ou “gaiola de passarinho”) não hesite em substituí-lo por um novo.

Vídeo Demonstrativo:

(O JavaScript não está ativo ou você está usando uma versão antiga do Adobe Flash Player. Por favor instale a última versão do Flash Player.)